Author
Balaio@Fantasma

Modelo blog Ancestralidade e tecnologia: uma perspectiva africana

O tronco me contou Estava eu, inocentemente, esculpindo um pedaço de tronco de um eucalipto, onde quero acoplar os componentes e fios que compõem o sistema eletrônico de nossa pesquisa. Eu vinha chamando esse tronco em processo de esculpir, de “case”, que por definição significa caixa, ou lugar onde guardar/envolver algo. Anterior Próximo Porém, hoje enquanto esculpia e via as fibras da madeira, por um milésimo de segundo eu e a madeira éramos um só.

Ancestralidade e tecnologia: uma perspectiva africana

Ilê Inã : entre a luz da vela e a luz do projetor EDITAL SANKOFA 2018/2019  Bolsista: Lucas Brasil Vaz Amorim Resumo Projeto de pesquisa-intervenção em Artes para o entorno da Igreja de Nossa Senhora da Barroquinha e Cine Itaú Glauber Rocha. (2018-2019)       Associando saberes e práticas de campos interdisciplinares, incluindo memória social, antropologia, estudos das cidades e arqueologia de mídias, pretende-se produzir uma cartografia do território físico e simbólico que abrigou, de um

Alma (Leidson Luiz)

Alma (Leidson Luiz) – PIBIC 2022-2023 Leidson Luiz, vulgo Alma, artista multifacetado, diretor de arte, pixador e pesquisador fruto de uma diáspora caótica que tenta enxergar beleza perante ao grotesco e a barbárie da sociedade,  estuda na Universidade Federal da Bahia no Bacharelado Interdisciplinar em Artes. Nascido e criado em Salvador, Bahia, no bairro de Cajazeiras, seu trabalho é fruto de atravessamentos da diáspora africana e da cultura de rua, produzindo principalmente no meio digital

EXPO IHAC

EXPO IHAC No período de 2 a 6 de agosto acontece mais uma edição da EXPO IHAC – Semana de Atividades Interdisciplinares em Artes, Ciências e Humanidades. Com uma programação diversificada – configurada a partir de propostas de atividades feitas por estudantes, docentes e técnicos administrativos, o evento apresentará um panorama com importantes experiências de ensino, pesquisa e extensão empreendidas no âmbito do Instituto de Humanidades, Artes e Ciências Professor Milton Santos. Clique AQUI e

Ocupa IHAC – 2019

Ocupa IHAC – 2019 O IHAC celebra os seus 11 anos de funcionamento com o projeto #OcupaIHAC, uma agenda potente e diversa de atividades durante todo o mês de novembro de 2019. A proposta é fazer uma ocupação do pilotis e do vão livre, na base do prédio do IHAC em construção (Campus de Ondina), como forma de ativar o espaço, convocando a comunidade para seus possíveis usos, independentemente da inauguração ou liberação do acesso

Ocupa IHAC – Modelo 3D

Okupa Iak – Modelo 3D Este projeto nasce com o desejo e a inquietude provocados pelo abandono e o não uso dos espaços do “novo” prédio que irá abrigar o nosso Instituto de Humanidades, Artes e Ciências Professor Milton Santos (IHAC-UFBA). Tendo como referência o projeto MAQUETE UFBA coordenado pela professora Naia Alban Suarez (FAUFBA), inicialmente a ideia era modelar a área externa dos dois prédios e suas ligações, projeto que foi iniciado, e cujas

Assombrações Pandêmicas

Assombrações Pandêmicas Pergunte às Palmeiras é um jardim de objetos comunicacionais que tem como corpo central uma flor seca de palmeira. Ainda que não estejam vivas, as flores secas transmitem informação. Se pudéssemos ouvi-las, o que teriam a nos dizer? Considerando que partilhamos todos, humanos e não humanos a experiência da vida no planeta, associamos tecnologias de conexão entre distintas formas de materiais, imateriais e a capacidade de imaginar e sonhar juntos. A pergunta à

Tecnologias da extração, capitalismo cibernético, colonialismo digital

Tecnologias da extração, capitalismo cibernético, colonialismo digital Na próxima 6a feira a coordenadora do Balaio, a artista e pesquisadora Paola Barreto participa de debate no evento Guerra de Mundos, organizado em parceria com a Lavits.El formato: una intervención inicial de 15 minutos para cada uno, después una ronda más de 10 minutos con preguntas del público y algunas de nuestras preguntas también. Qué les parece? Nos encontramos  minutos antes de iniciar la transmisión, que es a

Webinário ProfArtes

Webinário ProfArtes https://www.youtube.com/watch?v=wu4GvFnZSCA Webinário PROFARTES 2: artes visuais: caminhos entre o visível e o invisível a partir das pesquisas das egressas Participantes: Carla Fabiana Ferreira Santos Silva, Daliane Carvalho Gomes Pereira Fernandes, Mariana Brazil Nunes, Marcicleyde Dos Santos Costa, Vanessa Vieira De Almeida De Cerqueira, Laura Castro https://www.youtube.com/watch?v=oEZ1nZ_bk18 Webinário Profartes 3: Profartes e Artes Cênicas: Processos, Poéticas e Ensino do Teatro nas Pesquisas de Estudantes Egressas(Os). Daiane Gama Rocha Tosta, Edmaela Pereira Nascimento, Marcilene dos

Seminário Caminhos da Artemídia

Seminário Caminhos da Artemídia De 05 a 07 de maio/2021 acontece no IHAC Digital o Seminário Caminhos da Artemídia, evento que propõe a avaliação, reflexão e reformulação da área de concentração em Artes e Tecnologias Contemporâneas do IHAC. O seminário conta com atividades de mapeamento interno, grupos de trabalho para propostas curriculares e debates sobre os conceitos e objetivos que pretendem nortear a área, inclusive, para uma nova denominação.  A área de concentração, implementada nos

testes assombrações pandêmicas obra

Modelo de Exposição O trabalho foi concebido com uma prática relacional, baseada na materialidade da presença e a troca energética entre os corpos dos visitantes e as esculturas. Desse modo, a melhor forma de apresentar o trabalho é com a montagem circular apresentada em nosso modelo 3D, criando o ambiente apropriado para o cultivo desse jardim. No entanto adaptações são possíveis em termos de ajustes para a ocupação do espaço. Importante manter área de circulação

Que antena é essa?

Que antena é essa? Nossas interações são captadas por antenas, onde os sinais batem na antena e são conduzidos pelo fio. Antes de chegar nas antenas esses sinais estão irradiados a nossa volta, e nós o interferimos assim como ele nos interfere, e quando nos movimentamos próximos das antenas ou a objetos em que essas antenas estejam conectadas, interferimos no sinal captado. Falamos mais detalhadamente sobre isso no post o outro sou eu. Pois bem,

Rafael Diniz

Rafael Diniz Possui graduação em Música (bacharelado) pela Universidade Federal da Paraíba (2014) e mestrado em Música pela Universidade Federal da Paraíba (2017). Tem experiência na área de Artes, com ênfase em Composição Musical. Tem pesquisado sobre questões relacionadas ao ruído e à colagem musical, privilegiando práticas ligadas ao noise, plunderphonics, rádio-arte e outras. Desde 2014 tem atuado como compositor e performer no projeto de música experimental Artesanato Furioso. É compositor, performer e programador audiovisual

Open Live 1 _Hiperorgânicos 9

Open Live 1 _Hiperorgânicos 9 O Hiperorgânicos, Encontro Internacional de Pesquisa em Arte, Hibridação, Biotelemática e Trasnculturalidades, é um evento colaborativo, criado e organizado pelo NANO – Núcleo de Arte e Novos Organismos – da Escola de Belas Artes – UFRJ, produzido na forma de laboratório aberto e simpósio. A 9ª edição do Hiperorgânicos vem comemorar 10 anos de Laboratório e traz como tema: Arte, Consciência e Natureza. Criar, cultivar, conectar. O grande desafio desta edição é dar forma a

O tronco me contou

O tronco me contou Estava eu, inocentemente, esculpindo um pedaço de tronco de um eucalipto, onde quero acoplar os componentes e fios que compõem o sistema eletrônico de nossa pesquisa. Eu vinha chamando esse tronco em processo de esculpir, de “case”, que por definição significa caixa, ou lugar onde guardar/envolver algo. Anterior Próximo Porém, hoje enquanto esculpia e via as fibras da madeira, por um milésimo de segundo eu e a madeira éramos um só.

O digital não entenderia

O digital não entenderia O digital quando traduz informações analógicas cria uma representação do analógico. Temos uma falsa ideia de que o digital é uma evolução do analógico, é melhor que o analógico, quando na verdade cada um tem suas particularidades. Não é um tema novo em nosso blog, já falamos sobre ele no post “Analógico X Digital”, mas gostaria de retomá-lo, pensando de uma forma mais ampla do que apenas o som, e em

Experimentos em comunicação transdirecional entre o visível e o invisível – Congresso UFBA 2021

Experimentos em comunicação transdirecional entre o visível e o invisível – Congresso UFBA 2021 Nossa comunicação é fruto de pesquisa PIBIC em andamento, que por sua vez retoma pesquisas da Profa. Dra. Paola Barreto (Dr. Fantasma) e propõe a criação de uma paisagem sonora. Nossa pesquisa se chama PERGUNTE AS ÁRVORES, onde a pergunta tem a intenção muito mais de ouvir. A pesquisa caminha para conhecermos com quem estamos conversando, o licuri, o dendê …,

Tem alguém aí?

Tem alguém aí? Na linguagem, temos as funções fáticas, elas são táticas para puxar a conversa, táticas de “ligar” a conversa, são expressões como: – Alô – Olá – Bom dia! Nossa pesquisa possui uma função fática. Podemos pensar no ato de conectar os fios, os chips e envolver o sistema e as bobinas nas arvores como o primeiro contato fático, de dizer “oi” quem está aí? Esse chamar para a conversa é o primeiro

As fantasmagóricas ações à distância, e a Arte

As fantasmagóricas ações à distância, e a Arte Como é misterioso o sistema em que vivemos. Nossa pesquisa bebe muito das fontes da física e da matemática, para experimentar sentimentos em forma de arte. Tratei brevemente no post anterior deste blog, sobre o emaranhamento quântico, e de como a arte e outros campos do conhecimento se misturam em uma relação simbiótica, e gostaria neste post de explorar um pouco mais essa ideia. Esta relação não

O outro sou eu

O outro sou eu Nossa pesquisa se chama pergunte as árvores, onde a pergunta tem a intenção muito mais de ouvir. A pesquisa caminha para conhecermos com quem estamos conversando, o licuri, o dendê … mas gostaria de brevemente pensar o que é esse diálogo de um ponto de vista meta-fisico, físico, poético, técnico, e tudo mais que possa ser, como sempre esse texto faz parte de um diário de bordo, que visa compartilhar pensamentos

IHAComunidade: I Teia de Saberes e Fazeres

IHAComunidade: I Teia de Saberes e Fazeres A roda de conversa intitulada “Tecnologias para transformação do mundo”  tem como objetivo dialogar sobre diferentes ramos do conhecimento em que as tecnologias são utilizadas como ferramentas de transformação. A ideia para este dia do evento é discutir formas de utilizar as tecnologias para aproximar, tornar ideias em realizações tecnológicas, empoderar grupos sociais e humanizar as relações. Considerando-se que o uso das tecnologias no contexto da sociedade informacional

Diário de Bordo 2020

2020. 2020 foi um ano de diversas lutas e desafios para todos, e para nossa pesquisa não foi diferente, mas apesar de todas as adversidades buscamos, e encontramos caminhos para continuar nossa pesquisa, nem sempre como gostaríamos, porém lutamos com as ferramentas que tínhamos ou criamos ferramentas novas. Foi um ano de conversas digitais, mesas digitais, exposições digitais, e a palavra de ordem era distância física e nossa pesquisa pensava uma aproximação, um sentir. Neste

Territórios e poéticas infraestruturais: fazer lugar/arte/pesquisa

Aula Aberta: Territórios e poéticas infraestruturais: fazer lugar/arte/pesquisa – com Ruy Campos Aula aberta do componente curricular “SISTEMAS DIGITAIS EM ARTES”, ministrada pela Professora Paola Barreto (IHAC/UFBA). Ruy Cézar Campos (Fortaleza, 1989) é artista-pesquisador. Seus projetos mobilizam temas como cabos submarinos, performance de paisagens infraestruturais, fluxos de recursos fósseis e arqueologia das mídias para a interculturalidade. É mestre em artes pela Universidade Federal do Ceará – UFC (Bolsista FUNCAP), doutorando em Comunicação pela Universidade do

Ciclo de Conversas

Ciclo de Conversas | Culturas, Estéticas e Decolonialidades Convidamos toda comunidade para o ciclo de conversas “Culturas, estéticas e decolonialidades”, com discussões relativas aos atravessamentos entre arte e decolonialidade, mediação e tradução intercultural, a partir de poéticas, estéticas e cosmopercepções indígenas e afrodiaspóricas   Essa ação é parte das atividades de ensino das turmas do componente HACA42 – Tópicos Especiais em Cultura, ministrados em colaboração pelos docentes Paola Barreto, Laura Castro, Mara Vanessa e Alfredo

Culturas, estéticas e decolonialidades

Culturas, estéticas e decolonialidades Ciclo de Conversas ciclo de conversas | Culturas, Estéticas e Decolonialidades Convidamos toda comunidade para o ciclo de conversas “Culturas, estéticas e decolonialidades”, com discussões relativas aos atravessamentos entre arte e decolonialidade, mediação e tradução intercultural, a partir de poéticas, estéticas e cosmopercepções indígenas e afrodiaspóricas   Essa ação é parte das atividades de ensino das turmas do componente HACA42 – Tópicos Especiais em Cultura, ministrados em colaboração pelos docentes Paola

Analógico X Digital

Analógico X Digital Logo no início da nossa pesquisa, constatamos que para atender de forma mais plena a nossa poética, era necessário desenvolver sistemas que processassem o som de forma analógica, fazendo assim com que o som que ouvimos fosse mais completo, já que o som analógico é tecnicamente infinito enquanto o som digital está fadado a ser limitado, mesmo que com intervalos cada vez menores. E assim fizemos, fugimos do processamento digital do som

Arte Tecnologia e Educação, part. 1

As escolas não deveriam ser o que se tornaram hoje, estacionamento ou depósitos de crianças, um lugar relativamente seguro onde posso deixar meu filho para que eu possa trabalhar, ou apenas um preparatório para a faculdade. A escola poderia e deveria ser um lugar magico onde se desperta mentes para o futuro, e não um espaço que se parece com um preparatório para prisões e fabricas, em suas grades, segregação de etapas de montagem e horários definidos.

“Arte como fenômeno de campo”

Os professores do Paola Barreto e Cristiano Figueiró recebem em suas turmas de Tópicos Especiais de Arte e Tecnologia o artista pesquisador Guto Nóbrega, coordenador do NANO Núcleo de Arte e Novos Organismos do PPGAV-UFRJ. O professor convidado propõe a conversa “Arte como fenômeno de campo”, onde trata do conceito de Hiperorganismo e aborda questões que considera importantes para transcender a relação com a técnica no seu acoplamento com o vivo.

Blog Assombrações Pandêmicas

Blog Assombrações Pandêmicas IHAComunidade: I Teia de Saberes e Fazeres Lacerda23 de dezembro de 2020 IHAComunidade: I Teia de Saberes e Fazeres A roda de conversa intitulada “Tecnologias para transformação do mundo”  tem como objetivo… Leia Mais Open Live 1 _Hiperorgânicos 9 Lacerda23 de dezembro de 2020 Open Live 1 _Hiperorgânicos 9 O Hiperorgânicos, Encontro Internacional de Pesquisa em Arte, Hibridação, Biotelemática e Trasnculturalidades, é um evento colaborativo, criado… Leia Mais Conversa com Ouricouri Paola Barreto17 de

Mapa Mental

Mapa Mental No dia 26 de agosto de 2020 nós do Grupo de pesquisa Balaio Fantasma, fizemos uma reunião e tivemos a participação do nosso novo integrante, André que está tocando junto com a professora Paola uma pesquisa sobre as violências sistemáticas produzidas contra povos indígenas do Brasil durante a pandemia do novo coronavírus, chamada Assombrações Pandêmicas. Click aqui para a Página da pesquisa Assombrações Pandêmicas e aqui para o Blog da pesquisa Nessa reunião

Blog Pergunte às árvores

Blog Pergunte às árvores O digital não entenderia Lacerda28 de fevereiro de 2021 O digital não entenderia O digital é uma representação do analógico. Temos uma falsa ideia de que o digital é… Leia Mais Experimentos em comunicação transdirecional entre o visível e o invisível – Congresso UFBA 2021 Lacerda25 de fevereiro de 2021 Experimentos em comunicação transdirecional entre o visível e o invisível – Congresso UFBA 2021 Nossa comunicação é fruto de pesquisa… Leia

Revista Metamorfose v.4.

Revista Metamorfose v. 4 , n. 4 , 2020 – Dossier Arte, cuidado e tecnologias do bem viver Quando lançamos a chamada para o Dossier Arte, cuidado e tecnologias do bem viver, na primavera de 2019, não poderíamos imaginar que seríamos surpreendidos por uma pandemia mundial no verão seguinte. Nem que no outono entraríamos em um estado de emergência sanitária, humanitária e política, o qual adentraria o inverno de 2020. Essa é a estação em

Revista Metamorfose v.3.

Revista Metamorfose v. 3 , n. 3 , 2018 – Processos de Hibridação entre Artes, Ciências e Humanidades É com grande prazer que lançamos a terceira edição da Revista Interdisciplinar de Arte, Ciência e Tecnologia Metamorfose, com um dossier temático dedicado a processos de hibridação entre artes, ciências e humanidades. Em resposta à chamada lançada em agosto de 2017 recebemos 15 submissões, das quais 7 foram aprovadas pelos avaliadores e tornam parte desse número. A

Assombrações pandêmicas

Assombrações Pandêmicas Este projeto investiga formas tecnoestéticas (SIMONDON, 1998) para a produção de visualizações de dados sobre a violência sistemática produzida contra povos indígenas do Brasil durante a pandemia do novo coronavírus. Dados atualizados diuturnamente e que, apesar de extremamente concretos, pois dizem respeito a vidas humanas ceifadas em nosso país, permanecem invisibilizados, no que se refere a políticas públicas de proteção eficazes e ação preventiva por parte do estado brasileiro. Monitoramentos diversos pelo espaço

Resultados

Produzimos uma série de circuitos eletrônicos com o intuito de promover a interatividade entre os corpos e o som captado pelos sistemas; um modelo 3D, em foto e interativo de como ficará nossa instalação; e (3) a apresentação no Congresso Virtual UFBA 2020[1]. Além disso ainda estamos finalizando a escrita de (4) um artigo científico.

Materiais e Métodos

A pesquisa trabalha diretamente sobre a questão da materialidade dos meios eletrônicos – seja a materialidade sutil das frequências eletromagnéticas ou a materialidade densa dos circuitos integrados. Estas estão também associadas à materialidade orgânica das flores secas e de nossos próprios corpos, tendo a modulação de campos eletromagnéticos como fio condutor.

Introdução

A plasticidade dos fenômenos relacionados aos campos eletromagnéticos é fato que tem interessado tanto cientistas quanto artistas desde a sua definição no final do século XIX. É com o interesse por explorar esteticamente suas propriedades que iniciamos, a partir de um circuito eletrônico simp

Notícias

Notícias CHAMADA ABERTA METAMORFOSE 5! Paola Barreto15 de agosto de 2021 Aberta chamada de trabalhos para o número 5 da Metamorfose Revista Interdisciplinar de Arte, Ciência e Tecnologia Instituto de Humanidades,… Leia Mais EXPO IHAC Lacerda30 de julho de 2021 EXPO IHAC No período de 2 a 6 de agosto acontece mais uma edição da EXPO IHAC – Semana de… Leia Mais Guerra de mundos Paola Barreto3 de julho de 2021 Na próxima 6a feira

Modelo de Exposição

Modelo de Exposição O trabalho foi concebido com uma prática relacional, baseada na materialidade da presença e a troca energética entre os corpos dos visitantes e as esculturas. Desse modo, a melhor forma de apresentar o trabalho é com a montagem circular apresentada em nosso modelo 3D, criando o ambiente apropriado para o cultivo desse jardim. No entanto adaptações são possíveis em termos de ajustes para a ocupação do espaço. Importante manter área de circulação

Pergunte às Palmeiras

Pergunte às Palmeiras Pergunte às Palmeiras é um jardim de objetos comunicacionais que tem como corpo central uma flor seca de palmeira. Ainda que não estejam vivas, as flores secas transmitem informação. Se pudéssemos ouvi-las, o que teriam a nos dizer? Considerando que partilhamos todos, humanos e não humanos a experiência da vida no planeta, associamos tecnologias de conexão entre distintas formas de materiais, imateriais e a capacidade de imaginar e sonhar juntos. A pergunta

Tópicos Especiais em Arte e Tecnologia

EM COLABORAÇÃO COM O PROFESSOR CRISTIANO FIGUEIRÓ Nesta oferta de Tópicos Especiais em Arte e Tecnologia iremos trabalhar aspectos éticos, estéticos, políticos e poéticos em projetos artísticos que lidam com a visualização e a sonificação de dados. O curso será composto pela apresentação de uma curadoria de projetos de artemidia, netart e arte generativa de épocas e procedências distintas por um lado, e por outro por um laboratório aberto de criação, com forum de discussão

Tópicos Especiais em Cultura I

EM COLABORAÇÃO COM A PROFESSORA LAURA CASTRO O componente Tópicos Especiais em Cultura I foi pensado em modo compartilhado e elaborado de modo colaborativo por um grupo de docentes, com o objetivo de articular tópicos e blocos temáticos referentes ao campo das Políticas Culturais e da Ação e Mediação Cultural através das Artes. Composto desse conjunto de temas, atravessará questões como interculturalidade, arte e vida e mediação, com diálogos entre estética, decolonialidade e instituições de

Lucas Brasil

Lucas Brasil Lucas Brasil é artista-pesquisador, graduando do Bacharelado Interdisciplinar em Artes pela Universidade Federal da Bahia, graduando em Psicologia pela Faculdade Social da Bahia. Foi bolsista Sankofa 2018-2019, quando desenvolveu o projeto de pesquisa “Ilê Inã: entre a luz a vela e a luz do projetor”.

Shai Andrade

Shai Andrade Shai Andrade, mulher negra, vinte e oito anos, há dez na fotografia. Transita entre a fotografia,cinema e arte visual. É graduanda do Bacharelado Interdisciplinar em Artes com Concentração em Cinema na Universidade Federal da Bahia. Em sua trajetória artística participou de festivais de Imagem e exposições coletivas como  o  Circuito de Artes Negras, no qual expôs e ministrou a oficina “Fotografia e Memória” no Centro Cultural Brasil-México, a Exposição The Power of Art in

Jonathas Gonçalves Cardoso

Jonathas Gonçalves Cardoso Jonathas Gonçalves Cardoso ou simplesmente Zu Za, filho do Velho Chico, ribeirinho de Juazeiro/BA, é um multiartista que se dedica/delicia ao estudo/vivência das artes e cultura em seus mais diversos nichos, evoluções e resistências. Bacharel Interdisciplinar em Artes pelo IHAC/UFBA, tem 28 anos e atualmente reside em sua cidade natal. “Bobo eu que não sabia que todas as águas desembocam no mar…”

Ilha de Maré, ilha de luta

Ilha de Maré, ilha de luta EDITAL SANKOFA 2020/2021 Resumo Projeto de pesquisa-ação na Ilha de Maré e seus arredores. Associando saberes e práticas de campos interdisciplinares, incluindo memória social, etnografia, antropologia, estudos das cidades e arqueologia de mídias, pretendemos produzir, através de ferramentas audiovisuais, uma cartografia controversa do território físico e simbólico da Ilha de Maré. O problema A cartografia interativa desenvolvida neste projeto terá como eixo central o ato de resistir, partindo da

Congresso virtual UFBA 2020

Congresso virtual UFBA 2020 Texto Pagina do Congresso: www.congresso2020.ufba.br https://www.youtube.com/watch?v=jSR4Ew3W9R8 BIOPOLÍTICA DIGITAL E PANDEMIA: O NOVO NORMAL DE GOVERNOS, FRONTEIRAS, DADOS E MÁSCARAS A pandemia por Covid-19 projetou um cenário global de crise para além das questões de saúde pública e emergência sanitária. Dados, algoritmos e estatísticas se misturam a debates sobre privacidade e, no limite, natureza ideológica, confrontando aspectos sociais e políticos que repercutem na vida de cada pessoa. Assim, esta mesa propõe uma

Roberval Lacerda

Roberval Lacerda Bolsista PIBIartes 2020 Educador adepto e entusiasta de uma educação libertadora e emancipadora, pesquisa o aprender como processo de descoberta. Atualmente é estudante do bacharelado interdisciplinar em artes pela UFBA onde estuda a arte tecnologia como agente educador. Desenvolvedor de game, produziu o game ma-vue que participou do fórum social mundial de 2018. Motion Designer e programador. Professor voluntario da Escola Estadual Vera Lux. Atuou por dois anos na SEAD-UFBA, como Motion Designer.

Jesus Medrado

Jesus Medrado PIBIartes 2019-2020 Jesus Medrado é midialivrista, experimentador musical, multiinstrumentista, entusiasta de multiefeitos analógicos e rádio. Além das experiências individuais, atuou na Rádio Educadora FM, do Instituto de Radiofusão da Bahia (IRDEB), com a produção dos programas Especial das Seis, Salvador e sua História e Espaço Literário. Participou do primeiro Ocupa IHAC, fazendo toda a cobertura e captura de áudio das ações.

Lucas Lima

Lucas Lima. Bolsista FAPESB 2018-2019 Lucas Lima, também conhecido como Peri ou Rosink Ponkosa nasceu na Bahia final do século passado, mas é um ser atemporal. Artista do corpo, da danca e da gira, tem o coração quente e as garras afiadas. Colaborador do Balaio desde 2018, atuou no Laboratório Aberto de Subjetividades em 2019, além de compor a equipe de organização do VI Simpósio Lavits no mesmo ano.

Danilo Lima

Danilo Lima Editor Assistente Revista Metamorfose 2019-2020 Danilo Lima é ator e especialista em estudos contemporâneos em dança pelo PPGDança/UFBA, curador do Festival Estudantil de Artes Cênicas da Bahia, integra o COATO Coletivo e o Grupo de Pesquisa Poéticas Tecnológicas: corpoaudiovisual. Editor assistente da Revista Metamorfose do IHAC UFBA. Investiga repertório de movimento na dança, procedimentos cinestésicos para teatro com mediação tecnológica,  história da arte originária brasileira, curadoria experimental, videodança circuitos eletrônicos e crítica de

Paola Barreto

Paola Barreto Paola Barreto (a.k.a. paoleb ou Dr Fantasma, Rio de Janeiro, 1971) é artista e pesquisadora e desde 2017 Professora de Artes, Estéticas e Materialidades no Instituto de Humanidades, Artes e Ciências Professor Milton Santos na UFBA. Graduada em Cinema (UFF) e Mestre em Tecnologia e Estéticas (PPGCOM/ UFRJ), é Doutora em Poéticas Interdisciplinares (PPGAV/ UFRJ).  Sua produção prática e teórica envolve processos de autoria coletiva e desdobra-­se entre filmes, instalações e performances, explorando

Rebeca Carapiá

Rebeca Carapiá Monitoria Ação Artística 2018 – 2019 Rebeca Carapiá nasceu na cidade baixa, Salvador-Bahia. Artista visual formada pela Universidade Federal da Bahia, se interessa pelas relações produzidas entre a linguagem, o conflito, o corpo e o território. A partir da experiência e cotidiano no bairro do Uruguai, espaço que a constitui como artista, vem criando e organizando um conjunto de práticas e reflexões através de diferentes plataformas de exibição, formação e experimentação artística, visíveis

Cinemas Pos Coloniais e Periféricos

Cinemas pós-coloniais e periféricos Nos últimos dois anos, o ST Cinemas Pós-Coloniais e Periféricos da SOCINE aprofundou a discussão acerca das heranças do colonialismo e seus desdobramentos ao redor do mundo. Através dos diversos filmes, bibliografias e debates trazidos pelos participantes do ST, destacamos a abordagem interseccional, as produções culturais periféricas que rompem com modelos institucionais de criação, os cinemas indígenas, o pensamento decolonial latino-americano, e também o cinema das margens, seja do ponto de

Transplante de Subjetividades

Transplante de Subjetividades EDITAL PROPCI/UFBA 2018/2019 – PIBIC  Bolsistas: Luisa Caria (UFBA- CNPq), Lucas Lima (FAPESB). Resumo Projeto de pesquisa prática e teórica em artes visuais, para o desenvolvimento de uma interface interativa que permita um jogo de troca de identidades onde se “veste a pele do outro”. Através do intercâmbio entre personas – programador, performer, público – se propõe um exercício de escuta da alteridade e seu lugar de fala, operando de modo lúdico por

Laboratório Aberto de Subjetividades

Laboratório Aberto de Subjetividades EDITAL PERMANECER 2018/ 2019 Bolsista: Camila Florentino Resumo O Laboratório Aberto de Subjetividades (LAS) é um espaço expeLimental que funcionou uma vez por semana como componente curricular, ao longo dos semestres de 2018-2 e 2019-1, frequentado tanto por estudantes da UFBA, como pela comunidade acadêmica em geral – professores, pais, amigos, funcionários, terceirizados. Além dos encontros de grupo às 6as feiras (13h às 17h), toda quarta feira à noite (18h30 às

Ilê Inã : entre a luz da vela e a luz do projetor

Ilê Inã : entre a luz da vela e a luz do projetor EDITAL SANKOFA 2018/2019 Bolsista: Lucas Brasil Vaz Amorim Resumo Projeto de pesquisa-intervenção em Artes para o entorno da Igreja de Nossa Senhora da Barroquinha e Cine Itaú Glauber Rocha. (2018-2019)       Associando saberes e práticas de campos interdisciplinares, incluindo memória social, antropologia, estudos das cidades e arqueologia de mídias, pretende-se produzir uma cartografia do território físico e simbólico que abrigou, de um

Mapeando Fantasmas

Mapeando os fantasmas de São Salvador Foto: Maria Lordelo Projeto Permanente Monitoria 2018 / 2019  Rebeca Carapiá “Mapeando os fantasmas de São Salvador” é um projeto de pesquisa-ação desenvolvido no Bacharelado Interdisciplinar em Artes da Universidade Federal da Bahia desde 2017.  A metodologia, desenvolvida a partir do mapeamento de territórios ameaçados por processos de apagamento, degradação e esquecimento, baseia-se em um programa que escava memórias orais e impressas, desenhando uma cartografia controversa, transcrita em imagens

PIRAC

PIRAC O Programa Internacional de Residências Artísticas e Científicas Dr. Fantasma é um programa permanente de residência para artistas, cientistas e pesquisadores interdisciplinares, interessades em realizar trabalhos site specific em Salvador por períodos que podem variar entre 2 e 8 semanas. Os cronogramas de trabalho são decididos caso a caso e debatidos antes do início da temporada. No momento o programa não conta com apoios financeiros, e as residências têm sido financiadas através de parcerias

HAITI o AYITI

HAITI o AYITI Conversa aberta sobre o Haiti. Menos regurgitar na pobreza estatística da ilha e mais focar no concreto e no material da sua riqueza geológica e cósmica. As tecnologias, a arqueologia, a história da revolução vitoriosa e primeira nação a declarar liberdade universal nas américas. As danças e o espírito, os minerais e as águas, a serpente cobra grande. O espelho cósmico e o acelerador de partículas – maraca – como conector de

Banquete sensorial

Banquete sensorial Nos dias 16 e 17 de setembro de 2019 recebemos a visita da artista interdisciplinar e terapeuta holística Fernanda Bigaton, que compartilhou conosco saberes e sabores das filosofias do Ayurveda e do Yoga. A proposição “Ceia dos Sentidos” ofereceu aos nossos corpos a imersão em um universo sensível, começando por uma meditação que convidou todos a entrarem em um outro estado de presença, atenção, receptividade e entrega. As reações de cada um aos

Ensaios

Ensaios Anterior Próximo Fantasmagorias em processo por Lucas Lima A fantasmagoria me parece uma estratégia narrativa para elucidar casos de apagamentos sociais, através de indícios, investigações sonoras e até mesmo metafóricas pertinentes em outros âmbitos das áreas de conhecimento. Com toda licença poética deferida ao estatuto artístico, pretende-se além da criação livre, uma imersão nos dados sociológicos produzidos no país desde a sua colonização. Dados inexistentes, dados inventados, dados oficiais, dados das manifestações orais etc

Máscaras

Máscaras Por Luisa Caria O nosso processo de pesquisa se iniciou com a leitura do texto A máscara de Grada Kilomba. Esse texto nos fez refletir sobre a máscara como objeto de controle e sua potência como instrumento de poder, usado por tanto tempo para oprimir mas gerando significados e nos levando a propor a máscara como instrumento de empoderamento e reflexão.  Nossas leituras foram registradas no nosso blog, relatando nossa primeira trajetória investigativa entre

Testes

Testes Por Lucas Lima Esse projeto propôs criar relações e possibilidades de imersões em  situações, tempos, ocasiões, falas, gestos, movimentos, diálogos contemporâneos demonstrando uma estrutura possível de novas projeções para outras realidades, diante dos fatos violentos políticos ocorridos nos últimos anos. Dado isso, buscamos sentido na efemeridade dos casos e em incorporações para presentificar personagens históricas como Marielle Franco, assassinada em 14 de março de 2018. Essa investigação contava com um cronograma de laboratórios práticos,

O chamado da Barroquinha

O chamado da Barroquinha EDITAL PIBIARTES 2019-2020  Bolsistas: Jonatas Cardoso e Roberval Lacerda Resumo Nosso projeto propõe a criação de uma instalação sonora, a qual, através de interações múltiplas, consiste em um ambiente para formas de comunicação Transdirecional entre o visível e o invisível.  A proposta foi inicialmente pensada para montagem no território físico da Barroquinha e em diálogo com a carga ancestral do centro histórico de Salvador. Contudo, ao longo do processo criativo, considerando

Curtas Estórias

Curtas Estórias Curtas Estórias é uma plataforma geradora de curtas-metragens composta por um banco de vídeos classificados por palavras-chave que dão aos internautas a possibilidade de criar um número ilimitado de estórias curtas. O sistema de classificação cresce à medida em que é alimentado pelos usuários: seja por meio do uso combinado das palavras-chave ou do acréscimo de novos vídeos e tags. Ao longo de um ano, o algoritmo que calcula novas estórias será aperfeiçoado

Cine Fantasma

CINE FANTASMA Cine Fantasma é uma série de vídeo intervenções urbanas iniciada em 2013 no Rio de Janeiro. Partindo do mapeamento de salas de cinema de rua extintas, baseia-se em um programa que escava memórias das salas – documentais, jornalísticas, crônicas, ficcionais – , desenhando uma cartografia controversa, transcrita em imagens e sons que são levados de volta à rua, entrecruzando práticas de transmissão em tempo real e mixagem dos arquivos colecionados, a fim de

Festival do Conhecimento UFRJ

Festival do Conhecimento UFRJ Consciência e Natureza. Criar, cultivar, conectar A presente mesa busca formular, pelo viés do imaginário crítico, novas ideias frente ao estado de crise que se instala na contemporaneidade e seus desafios iminentes. O que parece estar em jogo no atual cenário é a falência de um paradigma sustentado secularmente sob uma visão antropogênica reducionista da natureza em nome da ciência e avanços tecnológicos, muitas das vezes desconectados das cosmogonias pessoais, das

LACRE

O Laboratório Aberto de Subjetividade  – LAS / IHAC foi convidado pela ACRE Recife, marca do performer e estilista Cassio Bonfim, para participar do evento Modos de Modas: moda e outras artes. Propondo um cruzamento entre editorial de moda, máscaras sensoriais e auto fabulação, apresentaremos uma série de retratos em vídeo que expressam ou inventam modos de existência e resistência, promovendo através de montagens em chroma key a coleção Lembrança de Recife Made in Salvador. Dia

Ocupação Rumor Salvador

Ocupação Rumor Salvador “Escutando a cidade da Bahia” é a ação interdisciplinar que o Balaio Fantasma, laboratório de pesquisa coordenado pela Professora Paola Barreto traz ao Congresso Corpo Cidade 6. Propondo a produção de paisagens sonoras e a realização de caminhadas no centro histórico de Salvador,  25 estudantes de graduação trabalharam ao longo do segundo semestre de 2018 em discursos e práticas sobre modos de sensibilização dos corpos e da escuta na cidade, visando a

LASER Nomad

LASER Nomad Um diálogo entre ciência e arte: sobre epistemologias e imaginações poéticas e políticas BárbaraCarine Pinheiro – Química/ UFBA Paola Barreto – IHAC/ UFBA Moderador e chair: Luca Forcucci / LASER Nomad Propomos aqui um diálogo que busca pontos de contágio entre Arte e Ciência, entendidas como campos de produção simbólica, implicadas em visões de mundo e submetidas a condições sociais, políticas e econômicas. Se por um lado a Ciência, como modo de produção

Roma: Cidade Baixa

Roma, cidade baixa                                                                 Fonte: Arquivo Odebrecht S.A. Fonte: Arquivo Odebrecht S.A. “Durante pelo menos quatro décadas – entre os anos 1930 e 1970 – as congregações  desempenharam importante papel no mercado exibidor da cidade, chegando a soma de aproximadamente 8.000 lugares distribuídos em

Desfile Fantasmagorista Amigos do Alheio

Cine Fantasma: Baixa Dos Sapateiros A Professora Paola Barreto, aka Dr. Fantasma convida a comunidade do IHAC para o desfile fantasmagorista “Amigos do Alheio”, intervenção urbana criada no contexto da componente Ação Artística II e que irá percorrer o circuito das salas de cinema desativadas da Baixa do Sapateiro, Sé e Praça Castro Alves.Projetando palavras, imagens e sons nas fachadas dos antigos palácios, hoje em ruínas, o cortejo irá celebrar o espírito dos cinemas de

Escutando a cidade da Bahia

Escutando a cidade da Bahia Escutando a cidade da Bahia é o nome da exposição que apresenta os processos de pesquisa e criação para a elaboração de paisagens e caminhadas sonoras elaboradas pelos estudantes da componente curricular Ação Artística, do Bacharelado Interdisciplinar em Artes. 7 grupos mapearam 7 territórios distintos do centro histórico, trazendo ao Casarão da Associação de Moradores e Amigos do Centro Histórico de Salvador fragmentos, memórias, desenhos, objetos e imagens que atuam

Jogo Balaio

Jogo Balaio Poética: O jogo “balaio” é uma experiência visual e sonora que pretende discutir sobre as formas de comunicação com o invisível, levando-nos, seres humanos, a repensar nossa posição nesse jogo dimensional de interação. “balaio” usa da linguagem do “game art” para propor uma visão às avessas da interação com o até então intangível. Ao controlar drª fantasma (nossa personagem) nos deparamos com um ser desconhecido que tenta contato com o invisível.  (Aqui drª

Caminhadas Sonoras

Caminhadas Sonoras 50 estudantes de graduação e mestrado em Artes da UFBA inscritos em três disciplinas correlacionadas – Ação Artística I, Cinema e Direitos Humanos e Laboratório de criação e práticas artísticas – trabalharam ao longo do segundo semestre de 2018 em discursos e práticas sobre modos de sensibilização dos corpos e da escuta na cidade, visando a construção de espaços críticos e inclusivos a partir de um trabalho de escavação de memórias e fabulação

Oficina Escuta Profunda

Escuta Profunda da Cidade A proposta desta oficina é experimentar sonicamente o centro de Salvador e gravar alguns de seus sons, em caminhadas que exploram a noção de deep listening (audição profunda) desenvolvida pela compositora de vanguarda americana Pauline Oliveros. Que tipo de cidade é uma cidade sonora e porque não é essa a que vemos? Que tipo de imagens podem surgir através de uma escuta tão delicada? A oficina é parte da Ocupação “Rumor

Laboratórios de Criação e Práticas Artísticas

HACA44 LABORATÓRIOS DE CRIAÇÃO E PRÁTICAS ARTÍSTICAS EMENTA GERAL: Campo de experiências para desenvolvimento de aptidões artísticas específicas envolvendo saberes, conhecimentos, técnicas e instrumentos inerentes a determinados campos artísticos. Estudo dos processos de comunicação articulados com a composição artística. Os produtos resultantes poderão ser compostos em forma de montagens cênicas, concertos, recitais ou exposições. ESPECÍFICO: O indivíduo e ele mesmo: auto-conhecimento. Como parte da pesquisa de desenvolvimento de uma plataforma integrada de orientação acadêmica, essa